Ação judicial pede suspensão do leilão da Ponte Salvador-Itaparica

Está concluso para decisão do juiz da Comarca de Itaparica uma medida cautelar ingressada pela Defensoria Pública do Estado, em nome da União dos Moradores de Bom Despacho (Unibom), que pede a suspensão da concorrência de escolha do grupo que construirá a ponte Salvador-Itaparica. 

A Defensoria, em nome da Unibom, na petição inicial, alega que não houve audiência pública realizada no território de Itaparica para tratar dos impactos da construção da ponte. Houve um encontro, em março deste ano, mas em Salvador, o que, conforme os autores da ação, prejudicou a ampla participação dos itaparicanos no processo de discussão, principalmente dos impactos da obra na localidade. 

Na solicitação da suspensão dos tramites é pedida a realização de um encontro, em data acessível, fora de horário comercial, com divulgação, participação da imprensa e ênfase para a população de Bom Despacho, Gameleira e Cacha Pregos.  

Em conversa com o BNews, Cledson Cruz, presidente da Unibom, afirmou não ser contra a construção da ponte, mas ao fato de ela ter sido conduzida sem contato com a população e sem reconhecer a realidade local.

“A nossa intenção com essa medida é fazer com que o Estado consiga dar voz a marisqueiras, pescadores, moradores de comunidades sofridas aqui, que sofreram e sofrem muito no dia a dia e, infelizmente, estamos hoje na perspectiva de sairmos hoje de 22 mil habitantes para 200 mil em uma cidade que não tem estrutura de água, esgoto e saneamento e assim o governo do Estado, de forma coercitiva, vem impondo a construção da ponte”, disse. 

Mais cedo, durante o leilão da ponte na Bolsa de Valores, em São Paulo, o governador Rui Costa (PT) assegurou, por exemplo, a licença ambiental para construção do empreendimento. 

“Foram contratados estudos há anos, consultorias que desenvolveram o plano diretor e discutido com as câmaras de vereadores. Além do projeto da ponte, existe todo um plano de investimento em água, esgoto, mobilidade urbana e ordenamento ordenado – garantindo e preservando o meio ambiente”, disse. 
 
* colaborou: Marcos Maia
*Bnews!
* Foto: Reprodução!